sábado, maio 15, 2010

Grande Benfica num País pequeno!

Começo por perguntar, como é que um país tão pequeno consegue albergar um clube enorme, tão grande, ao ponto de ser considerado além fronteiras, como o maior clube do mundo?

O Benfica após 5 anos de jejum conseguiu conquistar o seu 32º título. Depois do título de 93/94 o Benfica passou por maus momentos, um treinador que destruiu uma equipa campeã, um presidente que quase nos deixava na banca rota e várias individualidades que se queriam aproveitar do nome Benfica para singrar na vida. E porque o Benfica não podia acabar, mas teve de sofrer a bom sofrer como os heróis das bandas desenhadas, foi salvo por Manuel Vilarinho, eleito por milhares de Benfiquistas vindos de um Portugal de lés a lés. O Benfica estava novamente nas mãos dos Benfiquistas. Luís Filipe Vieira soube dar continuidade ao trabalho de Manuel Vilarinho e organizou a casa, pelo meio ainda conseguir desfazer um jejum de 11 anos, após a conquista do título de 2004/2005.

No meio de todos estes percalços na história do nosso Benfica, o maior rival, situado a norte do país, aproveitou e bem toda essa desorganização encarnada e além de ter uma boa equipa começou a montar uma estrutura bem assentada extra-futebol que lhe garantiu muitos títulos, quando uma equipa não bastava.

Os Benfiquistas começaram a afirmar que com este sistema, o Benfica teria de jogar muito futebol para conseguir festejar um campeonato e isso aconteceu este ano. Depois da casa arrumada, dos investimentos feitos em jogadores e depois de chegado um treinador a sério, o Benfica partiu para a glória e que glória. Um campeonato ganho sem espinhas, repleto de boas exibições, de goleadas como há muito não se via e uma carreira na Europa que com um pouco mais de sorte, poderia ter tido outro desfecho.

Mas ao longo deste campeonato viu-se de tudo para deitar abaixo este Benfica, com o sistema no seu esplendor, sem vergonha na cara e sabendo que tudo pode ser feito. Dada a impotência da nossa justiça, foram accionados todos os meios para derrubar o poderoso Benfica. Mas não chegou, pois mesmo a aliança de todos os antís foi infrutífera para derrubar esta armada.

No final do campeonato, na hora de festejar o enorme campeonato ganho pelas nossas tropas, ficamos tristes por pertencermos a um país tão pequenino, composto apenas por adeptos de dois clubes, os Benfiquistas e os outros, camuflados de verde, azul ou vermelho. Este país não chegou para o gigante adormecido extravasar a sua grandeza e foi vê-los festejar por este mundo fora, que festa nos Estados Unidos, os franceses admirados com tanta gente a festejar o título do Benfica, em África foi a loucura. O clube com mais sócios no mundo inteiro excedeu os seus próprios limites, que bom sentir novamente este vulcão em erupção.

Após a conquista deste campeonato, com os jogadores que temos, orientados por um grande Jesus e dada a organização de toda a estrutura Benfica, penso que temos condições para competir contra tudo e contra todos e continuar a coleccionar títulos para as vitrinas do museu do Estádio da Luz.

Carrega Benfica rumo ao 33º título!

1 comentário:

JG disse...

Até Jorge Jesus que sabia que o BENFICA era grande, ficou admirado ao ver a MANCHA VERMELHA que se formou, segundo palavras dele.
Saudações.