segunda-feira, abril 16, 2018

Ao Benfica

O que hoje tenho a dizer é a ti Benfica!

"Meu Benfica" sabes bem como gosto de ti! Sabes que és o amor da minha vida. Por isso mesmo também sabes como me senti ontem, como sinto hoje e como me vou sentir nos próximos dias e sempre que me lembrar. A tristeza que vai em mim é tão profunda que só consigo ter presente as imagens de ontem. E ao relembrá-las as lágrimas enchem-me os olhos, e a voz rouca, de tanto te ter apoiado, embarga ao falar.

Eu achava que era por mim, sabes? Desde 2009, desde a minha primeira ida ao novo Estádio da Luz, que só ganhaste ao Porto quando eu lá fui. Fui em 2009 e 2014. Todos os anos queria ir. Aliás todos os jogos eu queria estar contigo. Mas tu não estás ao meu alcance como eu gostaria. E dessas vezes que não fui achei que se tivesse ido, se eu estivesse lá a puxar por ti, tu tinhas dado mais e terias vencido. Ontem lá fui, na esperança que juntos conseguíssemos. Mas ontem percebi que não era por mim. Se não tivesse ido estaria desolada a achar mais uma vez que sem mim não dava. Mas fui e perdemos na mesma. Já não sou o teu talismã da sorte nestes jogos. Se é que o era. Eu sei que são os teus jogadores que jogam e não nós, adeptos. Mas não custa acreditar que se todos dermos o nosso melhor na bancada ou seja onde for, contribuímos um bocadinho. Porque na realidade o Benfica somos nós. Nós é que estamos contigo sempre. Claro que os jogadores, equipa técnica e direcção querem ganhar e dão o seu melhor por ti e porque lhes pagam para isso. Mas nós damos o nosso melhor por ti sem receber nada em troca e ainda pagamos para isso. Não recebemos monetariamente quero dizer, porque tu já me deste tanto... Por isso também sofro tanto! É por já ter sido tão feliz contigo e por querer que ganhes sempre que depois fico assim.

Mas isto vai passar. E sabes porquê? Porque te amo. E porque te hei-de amar até morrer. Se fui sempre benfiquista mesmo anos e anos a ver outros a gozarem na nossa cara, não era agora Tetracampeã que o ia deixar de ser. E apesar de toda a tristeza que sinto ainda não atirei a toalha ao chão. Eu não sou como muitos daqueles que ontem vi à minha volta a sair do estádio mal sofremos o golo. Eu cantei "Eu amo o Benfica" depois disso, só depois de o árbitro apitar acreditei no resultado. E só depois de ouvir e cantar novamente o nosso hino saí do Estádio mesmo com os 400km de volta que tínhamos para fazer. E sabes que mais? Voltava a fazer tudo outra vez!

Está muito difícil, sim, mas impossível não. Pelo que ambas equipas jogaram deveria ter acabado 0-0. Se assim fosse íamos ter que ganhar tudo até ao fim. É isso que temos que fazer na mesma. Só já não dependemos apenas disso, isso pode não chegar. Mas também poucos acreditavam que íamos chegar ao dia de ontem em primeiro e chegámos. É isto o futebol. O futebol português é mais peculiar. Vai-se passar muito mais do que futebol até ao fim da época. Mas desistir? Nunca! "Desistir é próprio dos fracos e dos fracos não reza a história!"


AMO-TE BENFICA!

6 comentários:

moises vieira disse...

Obrigado pelo teu post. Também eu grito de coração magoado " Amo te BENFICA"

ana_slb disse...

Obrigada! Só nós sentimos assim!

francisco disse...

Obrigada Ana pelo teu linto texto poema gostei muito,ainda mais gostei de saber que viajaste cerca de 400 klms para ver e apoiar o nosso glorioso clube te felicito por isso,coincidencia ou nao eu costumo ver o Benfica na tv,ontem nao quiz ver pressentia que algo nao iria correr bem e o meu coraçao nao resisti-se,nunca mais faço isso porque vendo os jogos acho que transmito energia angelical aos nossos jogadores telapatia ou seja la o que for viva o Benfica e nao desistiremos nunca.

Nau disse...

Era para ganhar. Na nossa casa, num ambiente extraordinário e com o apoio de 60 mil, não tivemos competência para mandar no jogo (todo) e para ganhá-lo. Na 1ª parte, sempre que atacámos bem, tornou-se óbvio que a vitória estava perfeitamente ao nosso alcance. Quando começámos a recuar (foram os jogadores ou foi indicação que saiu do banco?) e não atacávamos, com o jogo a decorrer tempo demais no nosso meio campo, augurei coisa ruim. E aconteceu, naquele pontapé feliz do adversário. Não se ganham jogos sem rematar à baliza (a falta que nos fez Jonas e que nos faz Mitroglou...), e neste jogo tínhamos de rematar mais do que rematámos, tínhamos de arriscar mais do que arriscámos, porque era um jogo decisivo. Não era, Rui Vitória?
Tivemos o pássaro na mão e deixámo-lo fugir.
O Dias foi o Dias que tem sido, desde que o visitaram na Maia. E o Martins também não viu o penálti cometido sobre o Ziv. Dois artistas escolhidos a dedo pelo lagarto que manda na arbitragem. Se eu fosse o RV teria avisado os nossos jogadores que iam lutar contra catorze e que, por tal, teriam de jogar muito, muito mais do que os outros e ser muito mais competentes do que eles. Dependíamos da nossa competência, agora estamos dependentes da incompetência dos outros. Mau negócio.
Mas é preciso termos calma e continuar a apoiar a equipa. Ainda não acabou.
Ao Rui Vitória e à equipa, como a todos os treinadores de todas as equipas do Glorioso, recomendaria verem e ouvirem a entrevista dada pela grande Vanessa Fernandes à BTV, há cerca de um mês. Vejam e ouçam com muita atenção. Várias vezes, se for necessário. Cá por coisas.

ana_slb disse...

Caro Francisco, obrigada pelas palavras! Foram 400Km para ir e outros tantos para voltar. Mas fazia tudo outra vez! Pelo Benfica tudo vale a pena!
Saudações Benfiquistas!

ana_slb disse...

Caro Nau, sim foi mesmo deixar fugir o pássaro. Deixamos sempre que este clube venha gozar connosco a nossa casa. Coisa impensável nós fazermos na deles. Acho que o Benfica falha nessa parte. Somos muito anjinhos com quem a sabe toda e quem controla muita coisa à sua volta. Agora dependemos desses mesmos e esperemos que lhes saia alguma coisa fora do controlo. Desistir não é para nós. Lutar até ao fim!
Saudações Benfiquistas!